publicidade
publicidade
 
 
 
 
publicidade
 
 
l12 imagens
 
 
publicidade
31.Jul.2015 | 16:42
 
PEC quer reduzir idade mínima de trabalho para 14 anos; MPT diz que proposta é ilegal
 

Foto: Vagner Oliveira.
 

O Ministério Público do Trabalho (MPT) emitiu um parecer contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2011, do deputado Dilceu Sperafico (PP-PR), que pretende reduzir para 14 anos a idade mínima para trabalhar. O texto tramita na Câmara dos Deputados. O MPT afirma que, caso a proposta seja aprovada, o Brasil violará internacionais e uma cláusula pétrea da Constituição Federal (CF). A Constituição Federal de 1988 proíbe o trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de 18 anos e qualquer trabalho a menores de 16, salvo na condição de aprendiz, a partir de 14 anos. Para a representante no Rio de Janeiro da Coordenadoria Nacional de Combate à Exploração do Trabalho de Crianças e Adolescentes (Coordinfância) do MPT, Sueli Bessa, a proposta representa um retrocesso social. “Essa redução é um retrocesso de direitos, com o objetivo único de precarizar as relações de trabalho”, alerta a procuradora do trabalho. Bessa afirma que a PEC representa mais um risco aos direitos sociais, juntamente com outras propostas que vem sendo apreciadas no Congresso Nacional, como a redução da maioridade penal e a ampliação irrestrita da terceirização. “No atual mercado, em que as vagas de trabalho são disputadas pelos adultos, não faz o menor sentido propor a redução da idade mínima para trabalhar. O correto seria investir na educação integral desses adolescentes e na profissionalização”, completa Sueli Bessa. O parecer foi entregue ao Congresso Nacional pela Coordinfância. Neleo MPT expressa que o direito fundamental ao não trabalho é cláusula pétrea prevista na Constituição, que não pode ser atingida por propostas reducionistas como a prevista na PEC. Além disso, a limitação aos 16 anos para trabalhar encontra apoio em tratados de Direitos Humanos assinados pelo Brasil que, ao serem ratificados, passam automaticamente a integrar o ordenamento jurídico interno. O Brasil é signatário do Protocolo de San Salvador (1988), instrumento adicional à Convenção Americana sobre Direitos Humanos de 1969 (Pacto de San José da Costa Rica), que garante o princípio da proibição do retrocesso social. Em outras palavras, uma vez fixada a idade mínima de 16 anos, em razão da norma constitucional, em consonância com as normas internacionais, não se pode admitir retrocesso na proteção aos direitos humanos.


 
(0) comentário(s)
 
comentários
 
 

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.

 
 
Nome:
 
E-mail (não será divulgado):
 
 Mensagem:
 
 Código:
 
 
25.Mai.2020 - Homem de 35 anos é morto a tiros em Brumado
25.Mai.2020 - ALBA RESTRINGE AINDA MAIS ACESSO ÀS DEPENDÊNCIAS
25.Mai.2020 - Auxílio Emergencial: Caixa credita nesta segunda benefício a mais 7,8 milhões de trabalhadores
25.Mai.2020 - Efeito da pandemia no interior do país ainda está por vir, diz ministro interino da Saúde
25.Mai.2020 - DNOCS vai iniciar recuperação da Barragem Luís Vieira, em Rio de Contas
25.Mai.2020 - Ibicoara: Deputado Marquinho Viana reivindica e convênio para fornecer água em Cerqueria é assinado
23.Mai.2020 - Livramento: Polícia militar conduz dois suspeitos para a Delegacia acusados de arrombamento
23.Mai.2020 - Operação da CIPE Sudoeste e 34ª CIPM apreende cocaína em Barra da Estiva
23.Mai.2020 - Bolsonaro anuncia que auxílio emergencial terá pelo menos mais duas parcelas
23.Mai.2020 - Governador anuncia antecipação de feriados na Bahia
 
 
comentários
 
Reprova??o ao governo Bolsonaro chega a 50%, aponta pesquisa XP Ipespe
Jos? Sinval
Espero que essa cara caia logo, para que o nosso pa?s volta ter cr?dito no mundo e nossa vida volte ao...
 
Livramento: Advogado diz ter sido impedido de acompanhar clientes no Mercado Municipal
Marliete
Certeza, houve viola??o as perrogativas do advogado! o dr.poderia no momento, ter acionado o ?rg?o OAB...
 
Presidente coloca sal?o de beleza e academia em lista de servi?os essenciais
Jos? Sinval
Ele pode at? decretar. Mas cabe aos governadores e prefeitos descidirem se aceitamore ou nao. Se n?o,...
 
Presidente coloca sal?o de beleza e academia em lista de servi?os essenciais
Brand?o
quando a crise almentar espero que cobrem dos prefeitos e dos governadores.
 
 
 
publicidade
 
 
arquivos
 
 
 
 
L12 Notícias © 2010-2020. Todos os direitos reservados.
 [email protected]