publicidade
publicidade
 
 
 
 
publicidade
 
 
l12 imagens
 
 
publicidade
24.Abr.2020 | 15:37
 
Moro pede demissão: “Tenho que preservar a minha biografia”
 

 

O ministro da Justiça e da Segurança Pública Sergio Moro pediu demissão do governo Jair Bolsonaro nesta sexta-feira (24). A decisão do mais popular auxiliar do presidente de desembarcar do Executivo foi antecipada pelo site de VEJA. Nos últimos meses, Moro vinha acumulando uma série de desgastes com o chefe, mas a gota d’água foi a exoneração do diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo, comunicada a Moro ontem. Conforme revelou VEJA, em uma tensa reunião na manhã desta quinta, o agora ex-chefe da Justiça disse que se Valeixo deixasse o cargo, ele também pularia fora do governo. “Tenho que preservar a minha biografia”, disse Moro. “Vou começar o empacotamento das minhas coisas e providenciar o encaminhamento da minha carta de demissão”, afirmou. 

Segundo Moro declarou nesta sexta, Bolsonaro o informou que haveria uma “interferência política” na Polícia Federal e que ele, como presidente, queria ter acesso a relatórios de inteligência de investigações e um canal direto com os policiais federais. “Não entendi apropriado”, disse o ex-juiz da Lava-Jato. Moro relatou ainda que Bolsonaro tinha “preocupações” com inquéritos em curso no Supremo Tribunal Federal (STF) e que, por isso, desejava a troca da PF. Em um desabafo, Moro disse que soube pelo Diário Oficial da demissão de Maurício Valeixo na cúpula da Polícia Federal e que o episódio evidenciou que “há uma sinalização de que o presidente me quer fora do cargo”.

Moro convocou um pronunciamento no próprio Ministério da Justiça para comunicar sua decisão de deixar o cargo. A fala do ministro foi acompanhada por nomes de peso da equipe do ex-juiz da Lava-jato, como Luiz Pontel, secretário-executivo, Fabiano Bordignon, chefe do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Luiz Roberto Beggiora, secretário nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), e Flávia Bianco, chefe de gabinete de Moro.

Segundo o agora ex-ministro, a partir do segundo semestre de 2019, Bolsonaro passou a insistir na troca na cúpula da PF. Moro afirmou que cobrava explicações do presidente, como a falta de um erro grave ou problemas de desempenho, que justificasse a troca de Maurício Valeixo. “Não é uma questão do nome. Tem outros bons nomes para assumir o cargo de diretor-geral da Polícia Federal. O grande problema dessa troca é que haveria uma violação da promessa que me foi feita de que eu teria carta branca (…) e estaria havendo uma interferência política na Polícia Federal”, explicou. O agora ex-ministro da Justiça disse que Bolsonaro o informou que, além do diretor-geral da PF, também seriam trocados superintendentes, como o do Rio e o de Pernambuco. “Cada vez mais me veio a sinalização de que seria um grande equivoco de realizar essa substituição”, afirmou. “O problema é permitir que seja feita a interferência política na Polícia Federal”, resumiu.

Em seu discurso, Moro lembrou que, desde a época em que era juiz, sempre temeu a interferência de governo em atividades de investigação, como a troca, sem causa, do diretor-geral da Polícia Federal. Moro lembrou que, ao ser convidado para o governo, Bolsonaro o prometeu “carta branca” para indicar cargos como o da PF. “A ideia era buscar num nível de formulador de políticas públicas aprofundar o combate à corrupção e levar maior efetividade no combate à criminalidade organizada”, disse hoje Moro. “O presidente concordou com esse compromisso (…). Me via, estando no governo, como também um garantidor da lei e da imparcialidade e da autonomia dessas instituições”, completou ele.


 
(1) comentário(s)
 
comentários
 
José sinval escreveu: Bom dia. Com toda certeza, ruio o único pilar que sustentava o governo do bolsonaro. Agora, só falta o Rodrigo Maia dar o tiro de misericórdia, aceitando os pedidos de impeachment. Sinval
25.Abr.2020
 
 
 
Nome:
 
E-mail (não será divulgado):
 
 Mensagem:
 
 Código:
 
 
13.Abr.2021 - e Governo inclui mais 236 mil famílias para receber auxílio emergencial
13.Abr.2021 - COVID-19: Nº de óbitos segue em crescimento em Livramento
09.Abr.2021 - Jovem de 20 anos morre em acidente na BR-262 entre Brumado e Aracatu
04.Abr.2021 - Brumado: Ossada humana encontrada ontem deverá seguir para Salvador para tentativa de identificação
04.Abr.2021 - Brumado: Festas clandestinas e bebedeira seguem a todo vapor em meio ao agravo da pandemia
01.Abr.2021 - Áudio acusa prefeito de Livramento de ser dono de máquinas que prestam serviço na prefeitura; denúncia chegará ao MP
26.Mar.2021 - Ciclista é atropelado por moto e morre em Ituaçu
26.Mar.2021 - Rio do Pires: Técnica de enfermagem Danila assume erro e pede desculpas
25.Mar.2021 - Técnica de enfermagem é afastada pela Prefeitura de Rio do Pires após denúncia de falsa vacinação
25.Mar.2021 - Governo da Bahia prorroga toque de recolher até 5 de abril
 
comentários
 
Brumado: Ossada humana encontrada ontem deverá seguir para Salvador para tentativa de identificação
Familia
Minha tia MARIA JOAQUINA MARQUES está desaparecida há quase 1 ano nessa região. Até hoje não temos qualquer...
 
Áudio acusa prefeito de Livramento de ser dono de máquinas que prestam serviço na prefeitura; denúncia chegará ao MP
Lauz Caetano
Se investigar mesmo, se houver lei e houver Ministério Público para apurar se isso realmente procede,...
 
Rio do Pires: Técnica de enfermagem Danila assume erro e pede desculpas
Izail Arnaldo De Castro
Prá uma maldade desta não existe perdão! Se perdoada ela continuará fazendo maldades com outras pessoas!
 
Brasil registra novo recorde diário de mortes por covid: 2.286
José Sinval
Boa tarde. Pois é. Enquanto isso, o presidente manda o povo irem para as ruas. Até hoje eu não...
 
 
 
publicidade
 
 
arquivos
 
 
 
 
L12 Notícias © 2010-2021. Todos os direitos reservados.
 sai@l12.com.br