12.Out.2017 | 16:39
 
Estados Unidos deixam de ser país-membro da UNESCO
 

 

Os Estados Unidos pretendem manter, de ora em diante, apenas o estatuto de observador, abdicando da representação permanente na UNESCO. A diretora-geral da organização com sede em Paris já veio “lamentar profundamente” a decisão carimbada pelo Departamento de Estado norte-americano, tutelado por Rex Tillerson. “A universalidade é essencial à missão da UNESCO para construir a paz e a segurança internacionais face ao ódio e à violência, pela defesa dos Direitos Humanos e da dignidade humana”, lê-se num comunicado de Irina Bokova. Em conformidade com os estatutos da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, a saída norte-americana só se efetivará a partir de 31 de dezembro do próximo ano. A decisão, procurou explicar o Departamento de Estado, “não foi tomada de forma ligeira”, espelhando as preocupações da atual Administração norte-americana com contribuições em atraso, “a necessidade de uma reforma fundamental da organização” e uma “continuada” postura “anti-Israel na UNESCO”.